Mistérios de Novelas

Confira lista sobre dez dos maiores segredos desvendados nas tramas da televisão
Imagem: Montagem Famosidades

Imagem: Montagem Famosidades

Toda novela busca um enredo de tirar o fôlego de qualquer telespectador. Algumas, no entanto, vão mais além: são fundadas em grandes mistérios revelados apenas no final, às vezes até causando espanto.

O mistério do momento é saber qual segredo Gerson (Marcello Antony), em “Passione”, guarda. Seria ele homossexual? Ou um pedófilo. Hacker, talvez? Ninguém sabe.. ainda.
Muitos autores da teledramaturgia se basearam em mortes e acidentes “inexplicáveis” para dar sentido à trama. Veja, entre tantas novelas, dez grandes mistérios da televisão brasileira que tomaram conta da mente do público. Confira!


Imagem: Divulgação
“A Próxima Vítima”: Exibida em 1995, a novela global trazia um assassino em série que, ao longo de sua história, chegou a matar dez vítimas. O que começou com o assassinato de Giggio di Angelis (Carlos Eduardo Dolabella), desencadeou-se na morte de várias outras testemunhas. Nesta versão da novela, Adalberto (Cecil Thiré) foi o criminoso, que agiu a pedido de Francesca (Tereza Raquel), esposa de Giggio, após descobrir que ele a traia com Isabela Ferreto (Cláudia Ohana).

Imagem: Divulgação/TV Globo
“Celebridade”: Mais uma misteriosa morte toma conta do horário nobre da Rede Globo. Gilberto Braga atiça nos telespectadores a curiosidade sobre o autor do assassinato de Lineu Vasconcelos (Hugo Carvana). Ao longo da trama, descobre-se que Laura (Cláudia Abreu) é responsável pelo delito, por vingança. Lineu havia roubado as provas que confirmariam a autoria de Ubaldo – pai da vilã – sobre uma música de grande sucesso.

Imagem: Divulgação/TV Globo
“Vale Tudo”: “Quem matou Odete Roitman?” Mesmo que você não tenha assistido à trama de Gilberto Braga ou não tenha nascido na época, certamente já ouviu essa pergunta. A personagem de Beatriz Segall é assassinada por engano, mas a solução do mistério só é revelada no último capítulo. Leila (Cássia Kiss) vê uma silhueta feminina e atira, acreditando que irá acertar Maria de Fátima (Glória Pires), amante de seu marido Marco Aurélio (Reginaldo Farias).

Imagem: Divulgação/Rede Record
“Poder Paralelo”: Em 2009, a trama de Lauro César Muniz traz um saldo de dez mortes e a identidade de “Guri”, o misterioso assassino, torna-se uma incógnita. Acredita-se que o assassino, que sempre colocava um fim à vida de suas vítimas com um único tiro na cabeça, poderia ser Bruno Vilar, vivido por Marcelo Serrado, ou Tony Castellamare, personagem de Gabriel Braga Nunes. O final, no entanto, surpreende: o seria killer trata-se, na verdade, de Paulo Garzia (Nicola Siri) – que intencionara colocar os dois suspeitos em pé de guerra.

Imagem: Divulgação/TV Globo
“Torre de Babel”: Sílvio de Abreu concentra o mistério de sua trama na explosão do shopping center “Tropical Tower”, buscando o responsável pelo ato. José Clementino (Tony Ramos), perito em fogos de artifícios, é condenado a 20 anos na prisão. Mas a verdadeira culpada pela explosão é Sandrinha (Adriana Esteves), sua filha. Inconformada pelo pai ter assassinado sua mãe, ela foi atrás de vingança.

Imagem: Divulgação/TV Globo
“A Favorita”: A novela de João Emanuel Carneiro trazia as personagens Flora e Donatela, além de um grande mistério: qual das duas tinha assassinado Marcelo, o marido da personagem de Cláudia Raia? Interpretada por Patrícia Pillar, Flora passou 18 anos na prisão, saiu decidida a vingar-se de um crime que dizia não ter cometido e recuperar o amor de sua filha, criada pela sua ex-amiga. Fria e calculista, Flora quase consegue convencer a todos que é inocente, o que não passava de uma grande mentira.

Imagem: Divulgação/TV Globo
“Tiro e Queda”: Baseada na global “A Próxima Vítima”, esta novela da Rede Record traz em seu enredo a história de Carolina Gomes (Karla Muga), uma mulher feia e, consequentemente, vítima de preconceito. Por causa do sofrimento, ela assassina Raul Amarante (John Herbert) logo no primeiro capítulo. Em seguida, foi responsável por outras mortes, todas ligadas a sua primeira vítima. No final, seu resultado foi trágico: ao confessar seus crimes, Carolina acabou ficando louca.

Imagem: Divulgação/Rede Record
“Chamas da Vida”: Exibida pela Rede Record entre 2008 e 2009, a pergunta que não queria matar era “quem seria o incendiário da novela?”. Ao final, descobriu-se que não havia apenas uma pessoa que tramava as explosões e incêndios: além de Leo (Rafael Queiroga), sua irmã Darlene Frota (Claudiana Cotrim) também o ajudava nas maldades.

Imagem: Divulgação/TV Globo

“A Indomada”: A cidade Greenville, localizada no Nordeste do Brasil, passa a sofrer com os ataques de um misterioso homem que fazia mal às mulheres, nas noites de lua cheia. Pelo seu andar torto, o malvado foi chamado de Cadeirudo, mas depois descobriu-se que o maníaco sexual era, na verdade, a beata Lurdes Maria (Sônia de Paula). Não era o principal enredo da trama, mas certamente também prendeu a atenção dos telespectadores, ávidos de curiosidade para desvendar a identidade do “estuprador” criado por Aguinaldo Silva em 1997.

Imagem: Divulgação/Rede Record
Escrava Isaura: Exibida pela Rede Record três vezes, o personagem Leôncio é assassinado e Isaura é condenada à forca pelo crime. O responsável, porém, varia de versão para versão: Chico (Jonas Mello), Rosa (Patrícia França) e Belchior (Ewerton de Castro). A novela baseada na obra do autor Bernardo Guimarães contou, em 2004, com a atriz Bianca Rinaldi no papel da escrava branca.
Qual das tramas teve o melhor mistério, aquele que te prendeu sua atenção? Comente, diga-nos. 

Fonte: MSN

2 Comments

Leave a Reply

Ao continuar navegando neste website você está aceitando a nossa Política de Privacidade, que explica como seus dados podem ser usados para melhorar sua experiência e como serão protegidos Leia mais .