Salvador 463 anos: Ainda temos orgulho de dizer que somos baianos

Um pouco de história

Em 29 de Março de 1549 chegam, pela Ponta do Padrão, Tomé de Sousa e comitiva, em seis embarcações: três naus, duas caravelas e um bergantim, com ordens do rei de Portugal de fundar uma cidade-fortaleza chamada do São Salvador. Nasce assim a cidade de Salvador: já cidade, já capital, sem nunca ter sido província. Todos os donatários das capitanias hereditárias eram submetidos à autoridade do primeiro governador-geral do Brasil, Tomé de Sousa.

Salvador completa neste dia 29 de março de 2012, 463 anos

1. Salvador completa 463 anos no 29 de março. Há pouco o que comemorar. A cidade perdeu espaços diante das outras grandes cidades nacionais. Empobreceu, se amesquinhou e vive patinando em sua própria história. Até no campo da cultura, onde chegamos a ter uma presença vibrante no cenário nacional, administra-se o passado, com rememórias, vivencias do que aconteceu. Pouco se produz de revelante em todos os campos: na literatura, no cinema, nas artes visuais, na música.

2. A capital dos baianos é uma das mais atrasadas do país: não tem transporte de massa, o trânsito é caótico, a civilidade entre as pessoas beira a zero, a violência cresceu de forma tão assustadora que dá medo sair às noites, nossa qualidade de ensino é dantesca e há muito deixamos de ser referência para eventos internacionais, salvo rarissimas exceções.

3. Os equipamentos das belíssimas orlas os piores do país, o turismo em queda, os preços nas alturas em restaurantes e hotéis e falta de investimentos públicos e privados à altura do que a cidade espera. Muito tem se falado da Copa do Mundo 2014 e legados. Mas, até agora, em curso, só a obra da Arena Fonte Nova, a requalificação do Hotel da Bahia e a instalação de dois ou três novos hotéis.

4. Este ano teremos eleições municipais para prefeito e vereadores. Não se deve esperar grande coisa. São os mesmos de sempre que pleiteam chegar ao Tomé de Souza. Idéias inovadoras até agora, nenhuma. Paciência, vamos aguardar a campanha para acompanhar as propostas dos candidatos. Sabendo, sempre, e isso é histórico, que uma grande parte delas, ao vencedor, não serão cumpridas.

5. Não vale aqui citar A, B ou C. Há esperança. Onde existe vida, sempre há esperança. 463 anos não são 463 dias. A velha cidade da Bahia, se é que podemos chamar assim, diante desta jovem cidade para os padrões asiáticos e europeus, resiste, e vai continuar resistindo. Porque se dela tudo tiram e lhes dão pouco, em beleza natural ainda é uma das belas do Brasil. E vai continuar sendo amada com todas as suas mazelas.

6. Tem o seu povo que é maravilhoso. O baiano. A gente ainda tem orgulho de dizer por onde passa que é da Bahia, a terra mãe do Brasil.
**


 

Com informações do JusBrasil

Leave a Reply