Censo 2010 já chegou em 48% dos lares brasileiros

 O Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) anunciou nesta segunda-feira que 92.697 milhões já foram entrevistados pelo Censo 2010. De acordo com o presidente do instituto, Eduardo Pereira Nunes, os números do segundo balanço do programa representam 48,4% dos brasileiros. Os primeiros dados indicam um aumento na população, mas uma diminuição no número de habitantes por residência.
De acordo com Nunes, já é possível verificar uma diminuição na média de moradores por domicílio no País. Segundo ele, a mudança foi constatada através das pesquisas por amostras realizadas nos anos anteriores. “Haverá um número maior de habitantes comparando com o censo de 2000. Mas estamos percebendo uma queda no número de moradores por domicílio, que deve variar de 0,4% a 0,5%”, afirmou.
A coleta de dados do Censo, pesquisa realizada de 10 em 10 anos para recolher dados sobre a população do País, deve ser finalizada até o dia 31 de outubro. A estimativa é de que o número de brasileiros passe de 190 milhões.
De acordo com o IBGE, o Censo, que começou no dia 1 de agosto, já foi realizado em 47% dos domicílios. Cerca de 10% das 36,3 milhões de residências onde os recenseadores já passaram são consideradas fechadas. Nos locais, existe a ocorrência de moradores, mas eles não foram encontrados para a realização da entrevista. Os pesquisadores vão continuar batendo às portas desses domicílios. Nunes afirma que há a opção de responder o questionário pela internet. Para isso, é preciso informar tal vontade ao recenseador, que entregará um envelope contendo um código para acesso ao questionário.
A coleta de dados já foi concluída em oito cidades. Entre elas está Borá, em São Paulo, considerado o menor município do País, com 805 habitantes. Lajeado Grande, Arvoredo, Pinheiro e Entre Rios, em Santa Catarina; Oliveira de Fátima, em Tocantins; Santo Antônio do Rio Abaixo, em Minas Gerais; e Fernando de Noronha são os demais municípios onde a coleta de dados foi finalizada.
Desafios e segurança
Segundo o presidente do IBGE, a maior dificuldade para a coleta de dados do Censo continua sendo os municípios onde os pesquisadores devem utilizar embarcações para o deslocamento. No entanto, Nunes ressalta que a pesquisa está adiantada até mesmo em Estados com esta característica, como Amazônia e Pará.
Nunes destaca que é preciso deixar claro que todas as informações obtidas são absolutamente sigilosas. “No momento em que o recenseador encerra a entrevista, os dados são criptografados. Ou seja, o morador desaparece individualmente e passa a fazer parte das estatísticas do nosso banco de dados”, afirma.
De acordo com ele, se algum morador se negar a responder um item, o questionário daquela residência constará como “dados inconsistentes”. Haverá então uma segunda visita, de um supervisor da área, para refazer o questionário. “É importante ressaltar que nenhuma questão pode gerar constrangimentos para o morador. Nem fiscal, nem penal, nem bancária, nem nada parecido, até porque não vamos manter dados individualizados”, disse Nunes.
Os pesquisadores do Censo utilizam coletes e bonés azuis com o símbolo do Censo e portam um cartão de identificação. É possível conferir a identidade do pesquisador através de ligação gratuita, no 0800-721-8181 ou pela internet, no site do IBGE. 
Fonte: Terra Noticias

Leave a Reply

Ao continuar navegando neste website você está aceitando a nossa Política de Privacidade, que explica como seus dados podem ser usados para melhorar sua experiência e como serão protegidos Leia mais .